FLECHA DO TEMPO, UNIVERSOS PARALELOS, CAPACIDADE DE FAZER COISAS

Na natureza, a energia degenera, por isso o café quente que você toma para ficar desperto não esquenta na xícara, ele esfria. No mundo macroscópico, de acordo com a segunda lei da termodinâmica, o passar do tempo leva, inexoravelmente, ao aumento da desordem, a uma maior entropia. Mas, no limite em que se consideram átomos e elétrons, fenômenos estranhos acontecem: a ordem das trocas de calor pode se inverter e a entropia do sistema pode diminuir, dando a impressão de que o tempo fluiu na direção do passado.73

Segundo estudo de uma equipe internacional coordenada por físicos brasileiros a inversão da flecha termodinâmica do tempo ocorre em uma condição específica: apenas quando se estabelece um emaranhamento entre os átomos das partículas, com o emprego da técnica de ressonância magnética.74 Então a partícula fria perde calor e esfria, e a quente ganha e se aquece, invertendo-se a flecha termodinâmica do tempo.

Esta descoberta científica reforça a tese dos físicos Julian Barbour, Tim Koslowski e Flavio Mercati de que é a gravidade, em vez da termodinâmica, que libera a “corda” do “arco” que deixa a flecha do tempo voar. Isto sugere a existência de universos paralelos, e não um único universo se expandindo. Segundo o conceito de flecha do tempo gravitacional, na altura do Big Bang podem ter sido criados dois universos iguais e simétricos em que em um a flecha do tempo anda para a frente e no outro a flecha do tempo anda para trás.75

A noção de que existem diferentes futuros, passados e presentes, dada a coexistência de universos paralelos, em que tudo está acontecendo simultaneamente remete à questão da capacidade de fazer coisas como significado original de democracia, de que trata Josiah Ober no famoso artigo “The Original Meaning of Democracy: Capacity to Do Things, not Majority Rules” publicado na revista Constellations em 2008. O cientista percorre a história da democracia na Grécia antiga para afirmar que democracia consiste na capacidade coletiva de fazer as coisas acontecerem no domínio público e não simplesmente na existência de instituições democráticas.76

Não se trata simplesmente de uma questão de controle de um domínio público, mas da força e capacidade coletiva de agir nesse domínio e, na verdade, de reconstituir o domínio público através da ação.77 O mais maravilhoso de tudo isso é acreditar que podemos lutar para tornar nossos sonhos realidade, aqui e agora.

 

73 O frio que aquece texto de Roberto Serra na revista Pesquisa Fapesp edição 264, fevereiro de 2018, disponível em http://revistapesquisa.fapesp.br/2018/02/09/o-frio-que-aquece/ acesso em 2018.

74 Idem.

75 Será que o Big Bang criou dois universos? texto de Jéssica Maes no site HypeScience disponível em https://hypescience.com/existe-um-universo-paralelo-se-movendo-para-tras-no-tempo/ acesso em 2018.

76 A significação original de “democracia”: capacidade de fazer coisas, não regra majoritária artigo de Josiah Ober traduzido por Luci Rodrigues de Figueiredo e Marcelo Garcia Santana na revista Direito, Filosofia, Ética e Linguagem, 2013.

77 Idem.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s