CORRIDA ESPACIAL

No seu segundo álbum The Race for Space, ambientado na corrida espacial, a banda inglesa Public Service Broadcasting elaborou cada uma das faixas inspirada em algum evento histórico que marcou a disputa pelo espaço entre os Estados Unidos da América e a União Soviética nos anos 60. No ápice da corrida espacial quando em 1969 a Apollo 11 cumpriu a missão de pousar os primeiros humanos na Lua, o controle da missão utilizava o protocolo Go/No Go para garantir que todos os sistemas estavam em ordem, antes de realizar algum procedimento. Na faixa Go!78 o instrumental do Public Service Broadcasting se mistura com as gravações de áudio originais desses momentos históricos do Projeto Apollo.

Em 2016, nos Dicionários Oxford, pós-verdade foi classificada como a palavra do ano, e foi descrita como relacionada a ou denotando circunstâncias nas quais fatos objetivos têm menos influência na formação da opinião pública do que os apelos às emoções e à crença pessoal.79 Será que todo o progresso que fizemos desde a revolução científica foi obliterado por um tiroteio de tweets e postagens nas redes sociais? Não.80

Mesmo quando eruditos anunciaram o fim da veracidade, e políticos relaxaram quanto à verdade, o competitivo mercado das ideias respondeu com uma nova ferramenta digital: a checagem de fatos em tempo real.81 À medida que os políticos distorciam a realidade em seus discursos, os checadores do Snopes.com, do FactCheck.org e do OpenSecrets.org os avaliava por sua verossimilhança, e o PolitiFact.com os classificava como verdade, na maioria verdade ou meia-verdade, instaurando-se uma nova ética da checagem de fatos, já que muitas pessoas passaram a clicar em histórias de checagem após um debate ou um acontecimento de grande destaque.82

O problema é que o espaço público não tem se configurado, propriamente falando, como espaço propício à interlocução, e sim como lugar de embate entre vontades emocionadas. Na dinâmica instaurada com a utilização de ferramentas digitais de checagem de fatos a verificação se tornou até mesmo uma sensacionalista caça ao clique. Ora, em tempos de pós-verdade, quando o que importa para as pessoas é a expressão de seus sentimentos e atitudes, o uso de um argumento racional nada mais é que um recurso estratégico visando a obtenção desse fim.

O espaço cósmico, as esferas celestes, já não diz respeito a ninguém, nem mesmo aos astronautas.

 

78 Disponível em https://youtu.be/BHIo6qwJarI acesso em 2018.

79 Falsa factualidade texto de Michael Shermer na revista Scientific American ano 16, número 183.

80 Idem.

81 Idem.

82 Ibid.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s